Make your own free website on Tripod.com

voltar

Observando a postura de tiro pode-se determinar o caráter do arqueiro

"ditado Coreano"

 

  Voltar para composto Voltar para recurvo Voltar para como regular seu arco  

 

Corrija os seus erros

 


Já teve um dia ruim? Está precisando de ajuda?

Bem, muitas vezes a ajuda está mais perto do que pensa.

 

 

Parte A - Resolvendo problemas com o equipamento

Parte B - Resolvendo problemas com a técnica de tiro

Parte C - Resolvendo problemas de concentração

Se algo está indo errado e não se sabe o que pode ser, então é hora de olhar a lista de lembrete.
Na maioria das vezes o agrupamento de suas flechas já lhe dizem onde está o erro. Pode ser que uma peça do equipamento esteja solto ou que você está atirando um pouco diferente do que no dia anterior sem perceber.

 

Parte A. 
 

Antes de cada tiro confere todo o seu equipamento, confere se tudo está bem apertado e em seu devido lugar. É normal que parafusos soltem com o tempo devido a vibração das lâminas depois de cada tiro. Tal vibração pode afrouxar parafusos, por isso sempre controle o seu material antes de cada série de tiros.


 

O diagrama acima amostra um possível erro de altura no tiro. Na foto as flechas atingiram em sua maioria o quadrante superior do alvo.

Para poder conferir onde as flechas mais atingem o alvo você desenha um alvo em miniatura num pedaço de papel e marca nele todos os seus tiros. Depois de uns 36 tiros dá para ver o padrão dos tiros, onde foi a maioria dos tiros. No mercado também existe um computador de bolso com um programa especial para calcular para você esses valores.

 

Os dados estão para arqueiros destros, no caso dos erros laterais tais dados terão que ser invertidos para os arqueiros canhotos.

 

As flechas e o equipamento

 

Os tiros vão alto

As possíveis causas:
O ponto do nock na corda está muito baixo, isso pode acontecer ao armar o arco não olhara o brace hight certo (o brace hight diminui, o nock point desce).
A flecha foi colocada muito baixo do nock póint ou ao puxar a corda a flecha desceu pela corda.
Um defeito da rabeira fazendo que não esteja devidamente encaixado com a corda ou não esteja alinhado com a corda.
A lamina inferior é mais dura do que a superior. Isso também, pode ser quando a lamina de baixo estiver mais tensa do que a de cima.
As penas não foram coladas de forma idênticas na flecha.
Flechas diferentes ou com pontas diferentes.

O rest (apoio) da flecha na janela mudou de posição.

Erros baixos

Pode ser causado por:
O nock está alto de mais
A flecha está subindo na corda, porque se colocou a rabeira acima do nock point ou este se desprendeu da corda.
A lâmina superior é mais dura do que a inferior ou a lâmina superior estiver mais tensa que a superior. Isso é devido ao fato que o tiller (a distância da lâmina com a corda) esteja ajustada incorretamente.
Penas velhas ou soltas na flecha
Um protetor de dedos velho e muito desgastado
A corda está pegando em uma peça de roupa que nem manga ou no protetor de braço.
O nock não está alinhado com a flecha e a ponta da flecha aponta pára baixo.

O rest da flecha mudou de posição ficando mais baixo.

A pena da flecha acertando o rest ou a parte interna da janela.
As penas não foram coladas de forma idênticas na flecha.
Flechas diferentes ou com pontas diferentes.
O brace hight não está certo

As flechas acertam a direita

Aqui os dados valem para destros, canhotos tem que inverter os dados:
A rabeira da flecha está solto na corda atrapalhando o tiro (vale igualmente para ambos)
A rabeira da flecha está apertado demais na corda.
O nock  e a corda não estão centrados e a flecha aponta para a direita.
O rest da flecha está desgastado
As penas acertam o rest

O brace height está muito baixo

As lâminas do arco estão torcidas, muitas vezes isso acontece quando o arqueiro monta o arco indevidamente causando uma torção nas lâminas

As laminas não estão alinhadas
As laminas estão soltas demais
A flecha acertando a parte intera da janela do arco
O button está perto demais do ponto central do arco (a flecha está mal alinhada ao arco, ela está alinhada com a corda ou até sua ponta está amostrando para a direita)

A flecha é mole de mais para a potência do arco
As penas são pequenas demais para controlar o vôo da flecha
Flechas com pontas diferentes
O rest (apoio da flecha) está demais para a frente ou para trás do ponto central do button

As flechas acertam a esquerda

A rabeira da flecha está solto na corda atrapalhando o tiro
A rabeira da flecha está apertado demais na corda.
O nock  e a corda não estão centrados e a flecha aponta demais para a esquerda.
O rest da flecha está desgastado
As flechas caem de um rest usado

As flechas batem a janela do arco ou o rest

As lâminas do arco estão torcidas, muitas vezes isso acontece quando o arqueiro monta o arco indevidamente causando uma torção nas lâminas

As laminas não estão alinhadas
As laminas estão soltas demais
A flecha acertando a parte intera da janela do arco
O button está perto demais do ponto central do arco (a flecha está mal alinhada ao arco, ela está alinhada com a corda ou até sua ponta está amostrando para a direita)

A flecha é dura de mais para a potência do arco
As penas são pequenas demais para controlar o vôo da flecha
Flechas com pontas diferentes
O rest (apoio da flecha) está demais para a frente ou para trás do ponto central do button

As flechas estão por toda a parte

Pode ser uma combinação de vários problemas

O nock (a rabeira) não está alinhado assim apontando a cada tiro em uma outra direção

A rabeira está velha e em mal estado, torta ou até danificada

As flechas são erradas

Não existe suficiente fios na corda do arco (corda fina demais)

As flechas estão tortas (basta uma mínima torção nas flechas para elas voarem in- consistentemente)
A mira está solta

Voltar

 

 

Uma vez se eliminou os erros no equipamento se pode ir à segunda parte:


Parte B.

A técnica de tiro

 

Erros altos

As flechas atingem alto

Causados por:
A mão que segura o arco
Está segurando o arco mais baixo do que antes
Se a mão está mais relaxada ela aumenta o jogo doo arco melhorando o tiro. Quando se tenciona o músculo do tendão a flecha tende a subir porque a tenção do músculo joga o arco para cima.
O braço que segura o arco
Se extensdermos o braço mais do que normal o tamanho da puxada aumenta aumentando assim a potência do arco que vai elevar o tiro. Caso relaxarmos o braço mais do que normal, a puxada será mais curta e o arco terá menos potência.
O ombro
Se for projetado para frente irá aumentar o tamanho da puxada.
A mão que puxa a corda
Se puxar muito além do normal, muito depois do clicker,

Os dedos encostando a rabeira e elevando a flecha,

maior pressão sendo feito pelo terceiro dedo,

soltando a corda onde o primeiro dedo a soltar é o indicador e o último  o terceiro dedo.

O braço que puxa a corda
quando se eleva o ombro demais para cima
A cabeça
A corda encostada leve demais no queixo (a mão segura a corda abaixo do ponto de ancoragem acostumado) -  quanto mais baixo se coloca a mão que puxa a corda mais alto vai a flecha

Levantar o nariz (a cabeça) logo depois do tiro ( na maioria para ver onde a flecha foi)
Abaixando o queixo ou abrindo a boca.
Outros
Atierando mais rápidamente do que o normal

Erros baixos

Mão que segura o arco
Segurando o arco firme demais

Abaixar a mão logo depois de ter soltado a flecha

Segurando o arco mais acima do que costumado aumentando a pressão da lamina superior
Braço que segura o arco
Está mais encurvado que usualmente

Dar uma parada para mirar e esquecer de usar a tenção dos músculos da costa

Ombros
Primeiro abaixar o ombro para depois elevá-lo, normalmente tende a diminuir a puxada

Falta de tenção nas costas
A maão que puxa o arco
Soltar duplo, o ceceio de soltar segurar o arco na última hora e depois soltar de qualquer jeito (em tais casos é preferível voltar do zero e começar todo o tiro de novo).
Maior pressão no dedo indicador do que nos outros, ou uma largada onde se solta primeiro o 3 dedo e por fim o indicado.

O ombro está baixo demais

Falte de tenção na parte superior da mão

A corda não encosta a face como de costume, a mão (ponto de ancoragem) está alto ou o queixo elevado.
Na hora de soltar a dedeira prende na corda causando também erros laterais.
Cabeça

Olhando depois do tiro aonde foi a flecha fazendo com que o arco seja abaixado durante a largada da corda
Outros
Mirar mais tempo do que costume

puxar mais curto do que normal

a corda acertando a camisa

atirando antes do clicker ter batido (através do clicker)

Flechas indo para a direita

Causas:
Mão que segura o arco
Segurando mais para a esquerda do punho causando uma leve inclinação do arco
Inclinando o punho para fora faz com que arco se incline para a direita na hora da largada.
Mover o arco para direita ao largar, por causa de falta de força ou erro de postura
A mão que puxa a corda
Puxar a corda em vez de soltá-la
A corda está alinhada demais para a esquerda
Outros
Atirando através do clicker

O corpo gira para a direita ao largar a corda.

Flechas indo para a esquerda

Causa:
Mão que segura o arco
Mão demais para a direita no punho causando uma inclinação no arco

Punho torcido para dentro torce o arco para a esquerda

Movendo para a esquerda ao largar a corda por falta de força ou postura errada.

Braço que segura o arco
Está demasiadamente esticado ou encaixado
Ombros
apontando para a esquerda
A mão que puxa a corda
puxando a corda, arrancando em vez de soltar

A corda está alinhada mais a direita

Largar antes de sua puxada total
Cabeça
Mover a posição dos dentes move a posição do queixo e assim a posição de ancoragem

Outros
Encostando o corpo para trás quando estiver atirando[

Corda batendo parte solta da roupa

Perda da tenção muscular das costas

Voltar

Parte C.
 

Resolvendo problemas de concentração

Alguns arqueiros terão tais problemas:

Estes são problemas sérios que podem afetar até os arqueiros mais experientes e mais profissionais do circuito mundial, e vai até o ponto em que o arqueiro chega ater medo de até puxar por completo a corda. Tais problemas dês estabilizam o arqueiro gerando uma grande falta de auto confiança e sua própria técnica e material. Em alguns casos arqueiros até deixaram de praticar o esporte.

Estes são todos problemas mentais, muitas vezes gerados por um excesso de ansiedade em querer acertar o centro que gera uma medo subconsciente de errar. Tal medo trava literalmente os braços, mãos e por fim todo o tiro.

Em tais casos é bom recomeçar o tiro do zero, reaprendendo um novo estilo de tiro, com novas técnicas e métodos. Se o arqueiro ficou incerto com a sua técnica acostumada ele deverá re programar o subconsciente adotando uma nova técnica, dando assim a possibilidade ao subconsciente readquirir a segurança e confiança perdida.

Quando um arqueiro se concentra demasiadamente num problema ele acaba esquecendo em se concentrar nos outros. O nosso cérebro não consegue pensar em duas coisas ao mesmo tempo e quando uma arqueiro se preocupa demasiadamente com um problema os outros aparecem assim piorando seu tiro e destruindo sua auto confiança.

Resolvendo o problema

Para curar estes problemas exige paciência e uma série de exercícios. Que pode durar entre 3 semanas a 4 meses.

Os treinos serão :
1. mirando a alvos a curta distancia e segurar o arco por 10 segundos sem dar o tiro
2. o mesmo que acima mas agora a distâncias mais longas
3. atirar com ambos olhos abertos no tapume sem alvo a distancia curta
4. atirar a curta distância com olhos fechados
5. combinando os métodos acima para completar uma seqüência a curta distância
6. o mesmo agora a uma distância mais longa

 

1. Comece com um alvo de 122cm a uma distância de 3 metros.
Mire no centro do amarelo e segure por 10 segundos, não se preocupe se no começo você não consiga segurar tanto tempo, o propósito deste treino é reconquistara sua capacidade de mirar. Não atire a flecha, em vez relaxe o braço sem dar o tiro.
Você pode mudar a posição da mira em mirar em cima do alvo ou ao lado ou embaixo pára varia e não constantemente mirar no centro.

 

2.  Quando você se sentir confiante a esta curta distância você vai aumentando a distância para 10 m, e assim por diante, para 20 m mudando o alvo para 80 cm. Só mude depois de se sentir confiante com a nova distância.

Quando tiver algum problema em manter a mira em distâncias mais longas volte para as mais curtas.

Para ter de volta todo o controle sobre sua mira pode durar algumas semanas de treino.
 

3.   Comece com um alvo sem nenhuma marcação a uma distância de 3 m. O objetivo deste treino é você treinara atira sem e preocupar em acertar o alvo.

Este treino lhe possibilitará se analisar e readquirir o feeling pelo tiro.
Um bom tiro deixa você se sentir bem.

 

4.   Para assegurar que o seu olho não influencie o seu tiro você pode atirar de olhos fechados somente concentrando no tiro e no feeling dele. Este treino é excelente par todos os arqueiros indiferentemente do grau de proficiência.

Se você estiver bem confidente vai aumentando a distância pouco a pouco. A distâncias mais longas é aconselhável manter os olhos abertos.
 

5.  Este é o passo mais difícil de todos.
é aqui onde nó juntamos os passos acima descritos num só processo.
Começa com um alvo de 122 cm a 3 m.
Concentre-se somente em mirar e deixe que o resto do processo do tiro aconteça por sozinho. ode ser que no começo seja difícil mas vaia tentando.
Caso não consiga tire o alvo e bote uma folha de papel no tapume ou um alvo de cor diferente onde o centro é branco (uma alvo de field). Quando der certo volte a usar um alvo oficial.

usando der certo e você conseguir atirar com confiança tente á distâncias mais longas gradualmente.

 

6.   Aumente devagar as distâncias.
Se sentir qualquer hesitação ou falta de confiança volte a distâncias mais curtas.
Caso as dúvidas e incertezas (problemas) voltem depois de um certo tempo mude a rotina de treino.

Um método que eu aplique já em alguns caso com sucesso foi o de atirar sem mira instintivamente, voltando para o treino básico e começando o treino do zero.

este é um dos melhores métodos porque reconstrói sua confiança no arco e no material.

 

Muitas vezes o arqueiro está farto de acertar tudo ou de não conseguir acertar como queria.

1. No caso de estar farto ele deveria variar seu treino atirando em linhas a várias distancias ou usar alvos menores a longas distancias assim aumentando o desfio. uma boa alternativa é o field que acaba quebrando a rotina de treino oferecendo uma diversão e mudança de treino e prática.

2. No caso de não conseguir o que quer, se pode treinar mais ou simplesmente atirar um tempo instintivo.

em ambos casos também ajuda atirar muitas flechas em pouco tempo, simplesmente atirar pelo prazer em atirar sem se preocupar com a pontuação. Este tipo de treino é bom fazer sozinho para não ter que dar sempre uma desculpa porque está atirando mal.

 

Agora o mais importante para o arqueiro é perder a necessidade de ter que acertar no centro e provar a todos que é bom. Atirar com arco deveria ser um prazer e não uma obrigação.

Voltar