Make your own free website on Tripod.com


voltar

O mundo é muito mais complexo do que podemos imaginar, por isso deveríamos observar cada momento que nem um neném.

 

Kempo e jardinagem

 

E dois exercícios de sensibilidades

 

A jardinagem é muito importante para o Kempo porque é um excelente exercício tanto físico, mental como espiritual.

Os efeitos físicos são bem óbvios. Cavar, cortar grama, podar, carregar, usar a enxada e o facão, etc, etc, etc.

O problema é que nós, ao ficarmos mais velhos, ficamos mais calmos e sedentários. Quando criança, nós nos movimentávamos, subíamos ladeiras, arvores, nadávamos, corríamos, por fim, nós fazíamos um montão de movimentos que com o tempo deixamos de fazer. Como adultos nós vamos a academias e fazemos exercícios unilaterais, corremos ou nadamos (que também são exercícios unilaterais), nós deixamos de fazer um montão de movimentos, movimentos que como criança fazíamos espontaneamente ao brincarmos.

Ao trabalhar no jardim, por ter tantas atividades diferentes, agachar, puxar raízes, corta grama e assim por diante, nós de novo exercitamos muitos músculos que jamais exercitaríamos numa academia. São músculos pequenos responsáveis por uma grande parte dos nossos movimentos, movimentos que muitas vezes deixamos de fazer porque nós nos acostumamos a sentar o dia todo e a economizar movimentação. Fora de ser um excelente exercício e fortalecer o corpo, várias técnicas de golpe podem ser aqui treinadas de uma forma bem descontraída. Por exemplo, ao usarmos o facão (os princípios do movimento são os mesmo que no kempo) fortalecemos o punho e o braço.

O efeito mental é que a jardinagem acalma a mente e harmoniza o espírito, melhorando a concentração e a capacidade de meditação. Ao trabalhar com plantas se pode esquecer o cotidiano e entrar numa forma de transe superficial (leve meditação). Isso acalma a mente e deixa ela descansar. Fora disso, na jardinagem você vê os frutos de seu trabalho, algo muito importante para a auto estima. Você sente e vê que você fez algo.

O efeito espiritual está no trabalho com a natureza. Quanto mais você trabalhar com plantas mais você recebe delas. É criado um tipo de troca energética. O trabalho com a terra possibilita descarregar energias pesadas e nocivas a você e o plantio e cuido das plantas aumenta sua sensibilidade pela natureza e aumenta a sua mediumidade. Esta sensibilidade lhe proporcionará no kempo e na vida a agir com mais respeito e intuitivamente certo.

Neste capítulo gostaria de mencionar dois exercícios muito importante que escrevi no meu livro „Candomblé um caminho espiritual":

Exercícios de sensibilidade

Estes exercícios aumentam sua perceptividade perante campos energéticos. Um campo energético pode ser tudo. Pode ser uma entidade, as energias, um lugar de força, um pensamento, um elementar ou uma barreira energética. O mundo é repleto de campos energético. A capacidade de captar tais campos faz do mundo em que vivemos um mundo muito mais complexo, rico e interessante.

É evidente que estes exercícios podemos treinar com as plantas que cuidamos.

 

Primeiro exercício

É um exercício bem simples que você irá conseguir exercitá-lo com grande facilidade.

Cada coisa tem sua energia. Uma das muitas capacidades que um neofita deveria possuir é sentir as energias, o astral daquilo que nos rodeia.

Para começar, você pede a um amigo ou amiga, um irmão ou irmã de santo lhe assistir. Seria ótimo se ambos fizessem este exercício junto. Pois, você não teria que explicar tanto:

Você pede a seu assistente para fica em pé parado, relaxado e respirando normalmente.

Agora você se distância uns 4 metros da pessoa, se relaxa e esvazie a mente. Você direciona a sua concentração e atenção para dentro de si, concentrando-se na própria percepção.

Você começa a andar devagarzinho em direção a seu assistente. De preferência de olhos fechados e com as palmas das mãos direcionadas para frente.

Ao caminhar em direção de seu assistente tente se conscientizar no que está sentindo. Você notará que você irá, com o tempo, sentir os campos energéticos de seu (sua) assistente. Todos nós temos campos energéticos, que nos protegem, envolvendo o nosso corpo a certas distancias. Tente sentí-los.

Você pode sentir os campos energéticos através de suas mãos ou de uma outra parte de seu corpo. Os sinais que você sentirá podem ser diversos como um calor, um frio, como se algo estivesse puxando, como se lá tivesse uma parede que você não consegue atravessar e assim por diante.

Cada ser é diferente e cada um de nós tem os seus próprios sinais. Você tem que descobrir os seus sinais. Tal sinal pode ser uma cócega no nariz, uma sensação estranha no dedão, um puxado na perna, um zumbido no ouvido, etc, etc.

Tendo boa prática, pode fazer o exercício de olhos abertos.

Agora faça o exercício de olhos abertos, mas sem se movimentar. Você imagina andando e chegando perto da pessoa, mas você prevalece o tempo inteiro no mesmo lugar. Você projeta sua consciência. Você somente se movimenta em sua imaginação.

Isso funcionando bem, podemos ir para a rua, num ponto de ônibus, dentro de um bar ou numa rua movimentada. Tente sentir a energia das pessoas. Importante é você fazer o exercício de uma forma bem discreta. Não ande na rua de olhos fechados e mãos erguidas parecendo alguém implorando por misericórdia, que você com certeza será atropelado.

 

Segundo exercício

Neste exercício iremos sentir a força das árvores, a força das pedras, a força de objetos.

Você procura um lugar bem tranqüilo e perto de uma árvore. Árvores são seres com uma maravilhosa energia.

Neste exercício iremos aprender a sentir a energia das árvores:

Achando um lugar adequado você primeiramente se relaxa, se energisa e se

concentra. Depois você tenta entrar em contato com a árvore:

-Você se senta perto de uma árvore.

-Você tenta sentir a vibração e a tranqüilidade do lugar. (Relaxe e tente sentir o amor presente em tal lugar. Você tem todo o tempo do mundo para relaxar.)

-Agora você tenta sentir a energia da árvore. Tente ver a energia. (Do mesmo jeito como você aprendeu no exercício anterior.)

-Tente sentir as vibrações da árvore. Se você fizer este exercício de olhos abertos você poderá tentar ver o campo energético da árvore.

-Depois de ter gerado um contato (canal, elo) com a árvore você pode absorver um pouco da energia da árvore e dar um pouco da energia divina que você inspirou. Árvores nos podem dar consolo e força e por serem muito mais velhas do que nós, nos podem transmitir muita sabedoria.

-E por fim você agradece à árvore.

Depois de cada exercício com uma árvore, você agradece a árvore. Você agradece pela força, paz e tranqüilidade que recebeu.

Bem antigamente os nossos antepassados, durante as viagens, procuravam lugares com força para repousarem, ou para construírem uma casa ou um templo ou uma cidade. Eles não assentavam em qualquer lugar. Eles procuravam lugares com força.

Na natureza existem áreas com maior concentração de energia e áreas com menor concentração de energias. Treinando bastante os exercícios acima mencionados você será capaz de sentir tais áreas com maior facilidade. Basta olhar para uma área e você logo sentira se tal área é um ponto de energia forte ou não. Você será capaz de ver a energia.

Com suficiente prática, você pode ir a lugares na natureza que você sabe que são lugares cheios de energia. Estando num desses lugares, você começa a procurar o ponto central da força.

Achando o ponto central você tenta descobrir a qualidade da força. No começo você pode usar as palmas de sua mão para lhe facilitar a procura de tais pontos fortes. Com o tempo você vai conseguir achar e sentir a força do lugar usando somente o seu olhar.

Agora você pode começar a trabalhar com objetos. Você pega uma pedra na mão e tenta sentir se a pedra tem força. Com a prática, é só você olhar para uma pedra e você logo saberá se ela tem força ou não.