Make your own free website on Tripod.com


voltar

O mundo é muito mais complexo do que podemos imaginar, por isso deveríamos observar cada momento que nem um neném.

 

Kempo e xamanismo

Se formos falar em paranormalidade também temos que falar sobre o shamanismo. O que para muitos é paranormal, para o shamano é normal. E o que é um acontecimento trivial para muitos, para o shamano é agouro, uma mensagem do alem.

Para a ciência moderna, que gosta de analisar e categorizar tudo, aparições não identificadas, que antigamente eram denominadas de sinais divinos, são interpretadas como discos voadores. A razão de serem denominadas de UVO (objetos não identificados) é porque não se tem uma explicação lógica para tais fenômenos. Quem conhece a origem de tais fenômenos ri de nossa superstição e crença.

Eu não sei se existem óvnis ou não. Eu creio que existem vários outros planetas habitados por civilizações, provavelmente muito mais evoluídas do que a nosso (que não seria uma façanha assim tão grande). Mas a questão aqui não é se existem óvnis ou não.

O ser humano procura o supernatural, o incompreensível para poder ter uma razão de sua existência. Antigamente aceitava-se tais fenômenos como coisas naturais, parte da vida. Deuses e gnomos eram tão reais como animais e pessoas. Com o surgimento da única religião, foi criado o conceito de que só existe uma verdade. Tal mentalidade originou a atual ciência que alega para si o patrimônio da sabedoria. A ciência tenta aniquilar tudo aquilo que não é capaz de interpretar. Ela alega que tais fenômenos não existem, que são meras fantasias. O que a religião fazia denominando outras interpretações do mundo e da vida como obras do diabo, a ciência as denomina como uma visão primitiva, ultrapassada, não cientifica, sem fundamento cientifico, e assim por diante. Tanto as religiões que alegam serem a única verdade (a verdade é só uma, mas muitos se auto proclamam serem os únicos), a ciência tentam ridicularizar os que são de opinião diferente. Isto não é mais nada do que à vontade de reger. È ditadura.

Eu não sou contra a ciência, pelo contrário, muito a favor dela. Agora, para mim a ciência só se torna útil quando ela serve ao ser humano para melhorar suas condições de vida. Quando alguém começa a fazer o uso da ciência para gerar dogmas, inibindo o livre arbitro das pessoas, aí eu sou contra.

O passo principal num trabalho xamânico é a capacidade de se concentrar e de criar a sua própria realidade. No fundo, a mesma coisa que uma pessoa psicótica faz.

A capacidade de gerar a sua própria realidade é também muito importante no Kempo.

Voltando ao xamanismo. Num trabalho xamânico, vamos supor, atravessar descalço por cima de brasa, é muito importante par o shamano poder criar uma realidade própria. Caso ele não a crie ele acabe se queimando, e muito feio. Ao criar uma realidade diferente à realidade física, ele cria uma nova realidade podendo assim transpor e transcender a realidade física, que no nosso exemplo seria: atravessar descalço, um tapete de brasas.

Lógico que existem mil e umas interpretações científicas tentando racionalizar e banalizar tal experiência. O que a ciência não consegue explicar é o fato de que: se o xamano não se concentrar adequadamente e criar a sua própria realidade, jamais atravessaria tais brasas, ileso. E podem crer. Eu tive a oportunidade de poder presencial tal acontecimento.

Isto aconteceu há uns anos atrás, na Áustria, estávamos nós lá atravessando as chamas, quando um passante que tinha de repente aparecido por mera curiosidade começou a perguntar o que nós estávamos fazendo. Com toda educação explicamos o que estávamos fazendo e ele começou a duvidar e dizer que tudo era uma besteira. Nós o deixamos falar e não mais prestamos atenção a ele. De repente ele diz que também podia atravessar as brasas e para isso não precisava de se prepara adequadamente. Bem nós tentamos impedir ele, mas de nada adiantou, ele ficou só com mais vontade ainda. Bem, se ele insistia, por que não. Nós somos todos democratas, e ele era adulto. Ele devia saber o que está fazendo. Bem, ele atravessou, depois do primeiro passo, aos berros e gritos. Bem, ele teve queimaduras de terceiro grau nos pés, e ficou de cama durante três semanas, e depois tentou nos processar (sem sucesso). Agora, uma coisa ele aprendeu: que fogo queima e que ele não entende de tudo.

Lógico que existem explicações científicas. Só que não aceitas pela maioria dos cientistas porque ainda não existem métodos nem aparelhagem para analisar este fenômeno. Agora, só por não existir aparelhagem adequada, não quer dizer que este fenômeno não existe. Na idade média se acreditava que o mundo era plano e o centro do universo, e quem contrariava era queimado. Agora, só pelas pessoas acreditarem assim, não quer dizer que o mundo tinha que ser plano.

Vamos agora fazer alguns exercícios para melhor podemos entender este tema:

1. Este primeiro exercício é bem básico e simples, mas muito convincente.

Uma pessoa fica de pé e estica o braço direito ou esquerdo. Uma segunda pessoa tenta abaixar com força p braço da primeira pessoa que tenta resistir. Depois de ter testado uma vez a primeira pessoa bota um pouco de açúcar na mão direita e todo o procedimento é repetido. Tente e você mesmo verá o que acontece. Agora a primeira pessoa bota um limão, uma fruta, um pouco de lavêndula ou incenso na mão. Tente e olhe o que irá acontecer.

Depois de uma pequena folga, para o braço recuperar, você tenta o mesmo exercício só que em vez de botar o açúcar na mão, imagine-o. Você pode imaginar coisas agradáveis e desagradáveis e testar como tais pensamentos afetam você, fortalecendo ou enfraquecendo o seu campo energético.

Toda forma de pensamento se for intensamente perseguido, irá afetar de uma ou outra forma a pessoa que está pensando. Pensamentos são realidades. Os pensamentos determinam o que você pensa de si mesmo(a), se você está satisfeito com sigo mesmo(a) ou não, e assim por diante. A maioria das pessoas que estão insatisfeitas elas estão assim porque pensam que deveriam ter o que não têm. Ela olham os comerciais ou ouvem que os amigos, vizinhos e parentes falam, e pensam: „Olha, eu não estou satisfeito. Para estar satisfeito eu tenho que ter isto, isto, isto e aquilo." E infelizmente tais pensamentos determinam a vida de muitas pessoas.