Make your own free website on Tripod.com

voltar

Defender a sua integridade é preservar a sua dignidade

O primeiro e último adversário de um verdadeiro guerreiro é o seu próprio Ego

 

Ken-jutsu

 

A arte de lutar com a espada é uma arte samurai e assim eu gostaria de pedir ao leitor também de ler as páginas sobre o Bujutsu (a arte de guerrear) e sobre O caminho do guerreiro.

Para podermos entender um pouco a mentalidade do samurai eu gostaria de contar um acontecimento da história Japonesa:

Nos anos do reinado da casa Hojo (1119-1333) os samurais tiveram o seu primeiro grande confronto, durante a  invasão dos monfgois. De 1274 a 1281 povos mongóis atacaram e tentaram invadir o Japão. O grande Chubilai-Chan, que já tinha conquistado a China e a Coréia queria completar o seu reino incluindo as ilhas do Japão.

 Na época os mongóis eram a maior força militar existente na terra. Com suas conquistas eles incorporaram o que tinha de melhor em artes marciais de cada lugar que conquistavam (de Europa a Ásia). Duas vezes eles tentaram com a ajuda de forças chinesas invadirem o sul do arquipélago, e ambas as tentativas forma repelidos pela bravura exemplar dos samurais locais que foram apoiados pela força dos ‘Kamikaze’ (tornados). Muito sangrenta foi a luta pela ilha Kyushu, uma luta que durou 49 dias e custou a vida de muitos samurais mas terminou com a derrota total dos invasores.

Os invasores usaram canhões e catapultas com pólvora, arma desconhecida pelos samurais,  seus arcos recurvos feito de chifre e madeira tinham um alcance duas vezes maior que os arcos longos japoneses (Yumi).

O a maior susto para os samurais (bushi) foi o fato que os invasores não respeitavam a ordem ética da luta. Para os Bushi (samurai), era costume a luta mano a mano, um samurai ia na frente e depois de falar seu nome ele desafiava um oponente.

Para os mongóis isso não era regra, quando um samurai vinha na frente para desafiar um oponente eles simplesmente atacavam logo em grupo. A outra regra dos samurais era nunca atacar por de trás costas, algo nunca respeitado pelos invasores. Os mongois também atacavam de noite e cortavam  a cabeça para levar como troféu, e muitas vezes faziam um colar com as orelhas dos inimigos mortos.

Isso tudo foi novidade e os samurais consideravam os mongois verdadeiros bárbaros. Mesmo sendo a maioria e tendo um armamento moderno e superior os mongóis foram repelidos e derrotados pela bravura dos samurais. Tais eventos tiveram seu marco profundo na cultura dos samurais.

O incompreensível foi que os samurais, depois destas vitórias não  se apoderavam das armas dos inimigos,  com exceção da melhora das técnicas do manuseio da lança longa, nada mudaram em seu estilo de luta. Isto amostra o grande orgulho que os samurais tinham pela sua tradição. Estas formas de luta foram mantida até o séc 16, que mudoi  com a introdução da mosqueta por parte dos portugueses .

----------------------------------------------------------

Originalmente a espada é considerada, conforme a tradição budista, a arma da paz, da justiça e do amor pela humanidade. A divindade budista Monju (Boddhissattwa Manjushri) segura em sua mão direita uma espada e na esquerda as sutras (ensinamentos e as leis sagradas). A espada é usada para destruir as desvirtudes que nem a ganância, a raiva (ódio) e a estupidez. A divindade guerreira Fudoo Myoo (a incorporação de Buddha Bairochani) que está envolto por chamas, carrega a espada da verdadeira fé.

Para os samurais a espada era um instrumento de integridade e honra. Conforme o budismo, confucianismo e shintoismo, cada espada possuía um espírito próprio. E depois da morte de um samurai, se sua espada não fosse oficialmente herdada ela era botada ao lado do dono.

----------------------------------------------------

A qualidade de uma espada depende da quantidade de camadas, dobras e da quantidade de carbono aplicado em camadas na espada. depende a água usada e da palha de arroz usada para fazer o fogo. Por isso a qualidade de uma espada crescia conforme as dobras, e uma boa espada durava meses até estar pronta. Os mestres que forjavam as espadas são descendentes de samurais e até hoje são tratados com muito respeito e veneração.

O samurai acreditava que uma boa espada tinha o poder de fazer milagres quando  era usada contra o mal.

Para esclarecer este ponto de vista eu gostaria de contar aqui um poema do séc 14 que comparava es espadas dos dois maiores produtores: O Maramasa e o Masamune.

“Para igualar as espadas de Maramase e Masamune se deve botar ambas num riacho. No riacho nadam folhas caídas de uma árvore.

- As folhas que tocam a espada feita por Maramasa são cortadas em duas. As folhas que tocam a espada de Masamune desviam de seu corte.

- Assim pode a força da espada, quando direcionada pela alma do ser, destruir ou preservar e proteger o mundo.”

A relação do samurai para a sua espada (o Kenjutsu – mais tarde denominado de Kendo) é um sistema aparte do bujutsu. Por exemplo, era costume um samurai tirar do cinto a espada longa (Odachi) e se ajoelhar quando entra numa casa e cumprimenta seu dono. Se agora o senhor da casa botar sua espada no seu lado esquerdo, isso significava um confronto.

A arte da luta com a espada no Japão possui muito poucos elementos, são na regra entre 7 a 15. Normalmente o samurai se posta de espada erguida e espera o adversário perder os nervos e se expor.

------------------------------------------------------

Uma grnade influencia no kenjutsu foi o mestre Izasa Ienao da escola Tanshin-shyoden Katori no séc 15. Outra grande influencia foi Miyamoto Musashi. Musashi foi um dos primeiros a usar ativamente o Bokken. Mais tarde o bokken foi utilizado por quase todas as escolas de jujutsu, judô e aikido.

No começo o treino nas escolas era muito similar a realidade, a única coisa era que as espadas não eram afiadas.

Somente no séc 17 é que pela primeira vez sensei Ono Tadake autorizou o uso de protetores. Seu aluno Nakanishi Chuta desenvolveu o Shinai no começo do séc 18.

A palavra Kendo foi usada pela primeira vez pela escola Abetate-ryu no séc 18.

Quando os samurais depois da revolução Meiji perderam os direitos de portar uma espada, ouve  o desaparecimento de muitas escolas de Kendo. Aí em 1928 se criou a federação de Kendo para perservar esta arte e desde então ela está se desenvolvendo e conseguindo mais e mais interessados no mundo inteiro.

- O Iaijutsu )a arte de puxar a espada) foi criado por Hojo Jinsuke Zu no séc 17 que se perguntava: como posso derrotar um adversário sem ter que mata-lo barbariamente e covardemente.

Por fim ele teve a idéia de desenvolver uma técnica que possibilita você puxar a espada das mais desconfortáveis situações.

Com o tempo surgiram mais do que 400 escolas. Mas em todas as escolas a arte treinada era a velocidade. Saber esperar o momento certo para puxar a espada tão rápido que o adversário não tem tempo para desviar ou até perceber o golpe. O treino primário é  o treino mental.  Outro conhecimento divulgado era os atemis, pontos que nem os de acupuntura, usados para enfraquecer ou matar o adversário

- Uma outra arte de luta usada pelos samurais era a arte do leque, uma técnica importada da China.

Outra arma usada até pela polícia era o Kusari. Era uma corrente de quatro metros de comprimento com uma bola de aço na ponta.

Nós ainda temos as armas Naginata, usado muito também pelas mulheres e o Bo. Na época Tokugawa existiam mais de 300 escola de Bojutsu. O Bojutsu praticado pelos samurais se diferenciava substancialmente da técnicas usadas em Okinawa. O tamanho do bastão variava entre 1,60 a 2,82 metros.