Make your own free website on Tripod.com


voltar

Defender a sua integridade é preservar a sua dignidade

O primeiro e último adversário de um verdadeiro guerreiro é o seu próprio Ego

 

Shorinji-kempo

 

Durante o período do Kamakura (1192-1233) o kempo veio da China para o Japão. Era uma época em que o Japão se orientava muito na cultura chinesa.

Este estilo foi renomeado no Japão de Shorinji (que significava Shaolin) e treinado como uma combinação de religião, artes marciais, e meditação Zen. Esta arte foi por muito tempo somente ensinada a monges budistas.

A forma atual do Shorinji Kempo foi fundada por Doshin So, nascido em 1911 na prefeitura Okayama (na Manchúria). Ele vivia com seu avô que viajava muito e depois da morte dele, aos 17 anos se mudou para o Japão. Como membro de uma organização secreta voltou em 1928 para a Manchúria, onde foi aluno dos monges taoistas da organização secreta Zaijari. O seu mestre também era mestre do estilo kempo do macaco Byakuren. Em Pequim aprendeu com o vigésimo gran mestre Wen Laoshi que foi mestre do estilo  macaco Shorinji Giwa do estilo norte.

Em 1936 foi nomeado seu sucessor. E em 1946 ele uniu seus conhecimentos em um só estilo o Shorinji Kempo e em 1948 abriu na ilha Shikoku o seu dôjo.

Em 1967 Hirokazu Yamamori introduz o sistema nos USA e desde 1976 o nome do estilo é Nippon Shorinji Kempo.

O estilo incorpora ao lado das técnicas duras (goho) também técnicas suaves (juho), e se utiliza de todos os tipos de chutes, socos, torções, chaves e jogos.

A base do sistema é se adaptar ao ataque do adversário para se poder usar a técnica mais adequada conforme a situação.

A sua filosofia visa unir o corpo com o espírito para adquirir um estado de harmonia interna. Sua philosofia se basea na escola Kong Zen (o carro do diamante do Zen), que ensina o budismo original e não as variantes japonesas ou chinesas.

Doshin-so morreu em 1981 e sua filha herdou a liderança do Shorinji kempo. A parte religiosa está sob a tutela do monge Suzuhi e as artes marciais são supervisonadas por dois outros monges.