Make your own free website on Tripod.com
primeiros mágicos Séc 18 Séc 19 Séc 20

 

O séc 18

 

A mágica como a conhecemos hoje teve suas origens no séc 18. Até lá era praticada por artistas viajantes, por circos (circo vem de circulo – apresentações em círculos) e por vendedores de remédios que a usavam para atrair seus clientes. Algo que é feito até hoje em dia. Na Europa e nos USA é muito comum empresas no dia do lançamento de um produto novo contratar mágicos para atrair e entreter o público. A concorrência atualmente é tão acirrada que as empresas têm que oferecer algo a mais do que somente seus produtos para a clientela vir no dia da abertura.

            Antigamente se usava da mesma táctica. Só que uns, se não a maioria, atribuíam seus poderes mágicos ao medicamento que estavam vendendo.

            Os truques mais comuns eram truques com cartas; a decapitação da cabeça de animais e até de assistentes que depois era restaurada; e o jogo com os cálices. Todas estas apresentações são ‘clássicos’ e apresentadas ainda hoje das mais variadas formas, por mágicos amadores até mágicos profissionais que nem Michael Ammar, Sigfried e Roy ou Cooperfield.

            Depois da guerra dos trinta anos, depois de muitas mortes e matanças, a Europa e a Alemanha passaram por uma nova era de muito progresso, inclusive no campo da mágica. Não só foi um progresso industrial como também humanitário e espiritual. Foi o começo da redescoberta do esoterismo, a abertura das universidades para as mulheres, a tolerância religiosa, a desmistificação do mundo com o avanço da ciência analítica e racional. E com essas mudanças a mágica também começou a ficar cada vez menos mística. Muitos mágicos apareceram, literatura foi publicada e os primeiros sets de mágica foram comercializados. Em 13 de Dezembro de 1830, o famoso poeta Goehte, o grande poeta e filósofo alemão, adquiriu o seu primeiro set de mágica.

            O séc 18: três nomes eu gostaria mencionar:

1 .Joseph Fröhlich (1694 – 1763) foi comediante da corte real de Augusto o Forte. Ele foi uma celebridade e muito adorado pelo público. 

2. Philadelfia (1735 – 1795). Seu verdadeiro nome era Jakob Meyer e por ter nascido em Philadelfia, USA, recebeu tal nome como apelido. Ele foi um dos primeiros a usar a lanterna mágica e a aparição de fantasmas em seus shows. Philadelfia se interessava muito por mecânica, matemática e metafísica e tinha um intimo contanto com os cavaleiros da cruz vermelha em Piesten. Em 1755 viajou para a Inglaterra onde trabalhou até 1765 para o Duque de Cumberland. Depois da morte do mesmo, Piladelfia viajou pela Europa dando palestras sobre matemática, metafísica e mecânica. Por efeitos demonstrativos ele criou vários aparelhos, de tal forma que suas apresentações logo virou um show bem especial, onde o cério se misturava com truques que eram vendidos como ocultismo e poderes para normais. Logo ele fez vários inimigos no meio acadêmico que começaram a chamá-lo de charlatão. 

3. Pinetti (1750 – 1800) era italiano nascido na Toscana em Orbietto. Pinetti foi professor de matemática e física em Roma, onde não só recitava a matéria como a demonstrava com experimentos. Na época cientistas eram muito admirados (por causa do baixo graus escolar da população e inclusive da realeza), mas pessimamente pagos. Assim, Pinetti acabou deixando seu professoral, virando mágico. Os seus shows eram admirados por causa das aparelhagens por ele desenvolvidas. Ele foi um dos primeiros a usar a clarividência em suas apresentações, com a ajuda de sua esposa.