Make your own free website on Tripod.com


voltar

Defender a sua integridade é preservar a sua dignidade

O primeiro e último adversário de um verdadeiro guerreiro é o seu próprio Ego

 

O significado da faixa preta

 

Existe uma bela história sobre Yagyu Matajuro, filho do famoso espadachim Yagyu no séc 17 na época do Japão feudal.

A história conta que Matajuro depois de ter sido expulso da família por amostrar pouco talento, potencial e pouca dedicação, foi procurar o grande mestre espadachim TSUKAHARA BODUKEN com a esperança de aprender o suficiente para ser aceito de novo por seu pai. Logo no primeiro dia, Matajuro pergunta ao mestre quanto tempo duraria para virar um mestre de espadachim.

O mestre responde: „Cinco anos se treinares arduamente".Aí Matajuro pergunta: „E seu eu treinar duas vezes arduamente".O mestre responde: „Nesse caso irá durar dez anos".

Qual é a verdadeira importância do cinto preto?

Alguns alunos chegam e falam: „Em tal academia eu consigo a faixa preta em três anos, e com você, quanto tempo vai durar?" Se eu falar cinco anos, então alguns alunos irão falar: „Pô, ele exige muito mais do que o outro professor, o treino dele deve ser muito bom".Já outros: „Pô, ele deve ser bem mais ruim do que o outro se ele precisa de tanto mais tempo para me ensinar o que eu preciso saber para adquirir a faixa preta".

Se o aluno vem treinar somente para adquirir uma faixa preta, para evitar decepções eu recomendo a ele comprar uma faixa numa loja e pendurá-la em casa ou acessar a internet e encomendar por alguns Dólares um certificado. Aí o individuo tem a sua faixa preta e deixa os professores em paz.

A faixa preta é um tipo de diploma, um magistério, é a formatura de um estudo. Antigamente não se tinham faixas, ao aluno escolhido era passada a autorização de ensinar um determinado estilo. Com a popularização das artes marciais descobriu-se que com faixas podia-se ganhar bastante dinheiro, e assim virou moda.

A faixa preta e o seu certificado determinam que tal pessoa adquiriu suficientes conhecimentos para ensinar um determinado estilo conforme os estatutos e regras desse estilo. E cada estilo tem as suas próprias regras.

O primeiro Dan é denominado no Japão de SHODAN (primeiro). SHO tem um duplo significado: ROUPA ou FACA. Para costurar uma roupa, primeiramente determina-se o tipo de roupa e o corte. Se fizermos um erro no corte, a roupa sairá mal feita. Da mesma forma é o treino. Se o treino for mal feito e o aluno somente pensar na vaidade de poder usar um „cinto preto" o produto final será ruim.

Não é o tempo de treinamento ou a idade do aluno ou o dinheiro que o aluno gasta nas mensalidades que irá determinar se ele(a) merece usar uma faixa preta, e sim a capacidade intelectual de entender o que lhe foi ensinado e o preparo físico e mental que vão determinar se tal aluno(a) merece ensinar a outros o que aprendeu.

Eu sempre costumo falar que é melhor ser um excelente faixa branco do que um péssimo faixa preto. Porque a cor da faixa não é garantia que você irá aprender mais ou será capaz de se defender melhor na rua contra um possível ataque. Se fosse assim, que maravilha, eu daria a todo mundo logo cinco faixas pretas.

Um aluno deveria treinar por treinar, e não, para adquirir um pedaço de pano preto com o qual pode gabar. É só se esquecendo que se chega a sua meta.

O tempo que alguém precisa para poder ser considerado como professor é muito relativo. Depende do aluno(a), de seu potencial, dedicação, passado e experiências. Não existe tal regra que diz o aluno tem que pagar tantas mensalidades e tantos anos até obter a faixa preta. Se o aluno(a) for um virtuoso das artes marciais, que nem Mozart foi na musica clássica, provavelmente receberá muito mais rápido a faixa preta do que um que tente e tenta e tenta, mas não consegue entender nada.

Adquirir a faixa preta não é somente restrito a capacidade física e a de lutar. A parte principal é os componentes: espiritual, intelectual e ético. O que adianta alguém que sabe bater bem e é brutal, mas não tem o devido respeito pelo próximo, pela vida e pelo mundo. Um professor que é um excelente lutador, mas que nos treinos utiliza o seu status para bater nos alunos, os rebaixando, somente para sentir-se superior.

Um faixa preta não só tem que ser capaz de representar o seu mestre, o seu estilo e conhecer a técnicas que aprendeu, como também tem que ser capaz de caminhar o caminho do Budo, transmitir a ética e a filosofia que está por de traz e é a base de todas as artes marciais.

Tudo isso faz um aluno ser faixa preta. E o mais importante é que nunca devemos esquecer que somos eternos alunos. Que nem um grande

mestre Zen falou: „Aprendi muito para descobrir que não sei nada.".

Acontece que muitos alunos que já adquiriam uma faixa preta num outro sistema querem que eu reconheça a sua graduação. Bem, isso não é assim tão simples. O sistema que eu ensino tem determinadas katas que o aluno(a) tem que saber. Depois tem a minha peculiaridade, o meu jeito de ensinar. E para o aluno receber de mim uma faixa preta ele terá que entender o jeito como eu ensino.

Eu não faço provas de faixa. Na minha academia todo mundo usa faixa branca. Somente eu uso uma faixa preta para pessoas de fora saberem quem está dando aulas. Se um aluno quer fazer a faixa presa, se ele se acha pronto, pode fazer a qualquer hora, só que ela tem um custo e é bem exigente. O que eu exijo de um aluno(a) foi o que foi exigido de mim e o que eu fiz para adquirir a minha faixa preta. Portanto, fazer faixa preta é o que eu exijo que o aluno(a) tenha de saber no mínimo.

 

A prova se divide em cinco etapas:

1.Esta fase determina o conhecimento dos movimentos básicos, da coordenação motórica e do físico do aluno(a).

As Katas: São cinco as katas obrigatórias mais as katas Shintai Sho, Saifa, Chiinto e Seiuchin.

As cinco katas são:

a. Snachin Ni e Ichi

b. Heian e Pinan Shodan

c. Tai Chi Chuan com e sem armas

d. A terceira forma do Ving Tsung com e sem armas

e. Basadai e a forma original.

 

 

2. Esta fase determina o entendimento do aluno(a).

- Aqui é exigido os conhecimentos do OKUDEN (segredos) das técnicas e o Kata BUNKAI (as aplicações). Só como exemplo, a kata heian Shodan possui mais do que 150 aplicações.

- Uma kata que o aluno não conhece será apresentada e o mesmo terá que explica-la.

3. Esta fase determina a criatividade do aluno(a).

- O aluno terá que criar uma kata que também possa ser usado com aramas. Fora de criar a kata terá que explicar seus movimentos e aplicações.

- Uma kata escolhida pelo aluno terá que ser mudada conforme os pedidos do professor.

- As armas utilizadas podem ser: o bastão em todos os seus tamanhos, desde o curto até o longo; sai; kama; naginata; catana (espada); facão; punhal e tonfa.

4. Esta fase determina a intelectualidade e o raciocínio do aluno(a).

- O aluno(a) terá que apresentar um trabalho escrito de pelo menos 20 páginas sobre algo relacionado ao Budo e Kempo.

5. Esta fase determina a capacidade do aluno(a) transmitir o que aprendeu.

- O aluno(a) dá aulas por um tempo na academia. E os outros alunos irão criticar e comentar a qualidade das aulas.

Espero o que foi acima escrito esclareça um pouco o que eu penso sobre a faixa preta. Kempo para mim é uma forma de vida, uma filosofia de vida e não meramente brutalidade. Kempo é uma forma para eu aprender a conquistar a mim mesmo, e isso eu não faço derrotando outros. E a cor da faixa é meramente um atributo que aceito porque a vaidade da sociedade o exige. O que determina uma faixa preta não é o tempo de treino, a idade nem o grau ou o Dan que se possui, e sim a personalidade, como interage com o mundo que o rodeia, o respeito que tem pelo mundo, pelas outras pessoas e por si mesmo, a ética. A idade mínima para a faixa preta é os 21 (vinte e um) anos.

Depois de adquirir a faixa preta e a autorização de ensinar e lecionar o estilo que aprendeu o aluno(a) é denominado de SENSEI (professor).