Make your own free website on Tripod.com

Budo

Dôjo Ki Bujutsu
Do Deshi Kime

 

Budo o caminho do guerreiro

 

Falar sobre o caminho do guerreiro numa página de Kempo é praticamente falar sobre os samurais e o kenjutsu.

Mesmo sendo o Kempo uma arte okinawesa, quando falamos sobre o guerreiro no contexto japonês, inevitavelmente pensamos no samurai.

Ser guerreiro não significa andar armado e fazer guerra. Ser guerreiro é uma postura de vida. E de todas as sociedades que mais representam essa postura, é o samurai.

Durante a idade média nós tínhamos na Europa os cavaleiros da cruz vermelha. Inicialmente era um grupo muito religioso que se juntou para defender o cristianismo contra as constantes agressões e invasões turcas e muçulmanas. Sua origem se deu da mesma razão que a origem do Shaolin.

No começo, tais cavaleiros eram monges cristãos, comprometidos com uma regra muito rígida de ética seguindo os princípios do cristianismo.

Eles eram excelentes guerreiros, místicos e grandes mestres da arte marcial.

No velho sistema tolteca, passada a nos por, entre outros, Carlos Castañeda, os grandes magos(as) eram caçadores e guerreiros à procura da força.

Não podemos esquecer os grandes guerreiros das Ilíadas. Temos os espartanos, temidos por todos. Temos Alexandre o Grande. Todos eles mestres na arte marcial.

Agora, o que determina um verdadeiro guerreiro de um matador brutal é a capacidade do guerreiro se próprio conquistar.

 

O primeiro e último adversário de um verdadeiro guerreiro é o seu Ego.

 

A tradição do samurai originou por volta do séc no norte e oeste do Japão. Na época os imigrantes do continente, pequenos fazendeiros tentavam montar fazendas na frnoteira com os habitantes originais da Ilha, os Ainus, que protegiam suas terras contra tal invasão pacífica.

Estas constantes lutas criaram a necessidade de se montar uma casta de guerreiros para proteger os fazendeiros. No séc 10 a 12 esta casta conseguiu se estabelecer e estarem somente subjugados ao imperador. A casta dos samurais surgiu.

Com a maturidade dos samurais dos princípios do Kyuba-no michi (a arte de atirar com o arco em cima de um cavalo) se desenvolveu as a ética (Bushido) dos samurais.

O sinônimo de samurai na língua chinesa era Bushi. Por isso Bushido significa o caminho do samurai.

As suas artes marciais, a arte de usar a espada, de usar a lança e de cavalgar viraram as artes classicass de luta do Japão, com exceção do Jujutsu.

A parte filosófica os smurais herdadram do Soto e Rinzai budismo.

No séc 13 os samurais conseguem se estabelecer como a força principal e assim surgem os shogunat.

Existem vários exelentes livros sobre a conduta do samurai:

Sob a ordem de Tokugawa Ieysau (1542-1616) foi escrito o Buke sho Hatto (compendio das leis do samurai).

Escrito por Kasaka Danjo Nobumasa e Obata Kegenori temos a biografia do legendário Takeda Shingen.

Um pouco mais tarde, Daidojo Yuzan (1639-1730) escreveu o Budo shoshinshu (O começo das artes marciais).

E por fim em 1716 Yamamoto Tsunrtomom, um samuria do clan Saga que virou monge depois de seu shogun ter morrido, escreveu o Hagakure (escondido na mata).

De Daidoji Yusan são as próximas palavras:

-         A verdadeira coragem é, viver quando é hora de viver, e morrer quando é hora de morrer.

-         -Quando a morte vier, tens que ir em seu encontro com toda a consciência.

-         Cada palavra que falares tens que perguntar antes se ela é verdadeira e se ela representa o que queres dizer.

-         Seja simples tanto na vida como na comida.

-         Nas atividades diárias sempre pense na morte e a guarde no coração.

-         Respeite a regra do ‘galho e do tronco’. Esquece-lo nunca irás encontrar virtude. Um que não tem o respeito de um filho não é um samurai. Os pais são o tronco da família, os filhos, seus galhos.

-         O samurai não somente deve ser um exemplo como também um filho leal. Ele não foge e não deixa seu senhor mesmo quando os inimigos os superam em numero (quando primeiro são 100 e depois 10 e por fim 1).

-         Na guerra um samurai amostra lealdade quando luta sem medo contra lanças e flechas e sacrifica sua vida quando for necessário.

-         Lealdade, sinceridade (justo) e coragem, são as três virtudes de um samurai.

-         Um falcão não recolhe grão do chão mesmo quando nesta com fome. Da mesma forma tem que ser um samurai, ele deve usar o palito dental para amostrar que não está mais com fome mesmo se estiver faminto.

-         Quando um samurai morre na luta, então ele deve dizer com orgulho o seu nome e ir de encontro com o seu destino com um sorriso.

-         Se o samurai for mortalmente ferido, então ele deve se despedir com respeito de um puro mais velho.

-         Quem somente usa a força bruta não merece ser chamado de samurai. Um samurai tem também que estudas as ciências e poesia para entender a cerimônia do chá.

-         Ao lado de sua casa, o samurai também pode montar um lugar humilde para praticar a cerimônia do chá, e pode ter porcelana moderna, mas modesta.

 

Estas são algumas das recomendações para poder ser um verdadeiro samurai. Como podemos notar, o mais importante é a capacidade de superar o seu ego. O medo pela morte não é nada mais do que o apego pela vida, pelo eu, pela vaidade. Se nós deixarmos de existir, a morte nada nos pode afetar, e assim estamos livres de poder veramente agir, decidir livre e sem preconceitos.

Esta arte os samurais treinavam praticando a cerimônia do chá, entre outras atividades.

Esta mesma mentalidade nós vamos encontrar nas castas dos guerreiros no mundo inteiro. Estas normas de conduta não são uma peculiaridade dos samurais, mas é esta tradição que consegui melhor resgatar a s velhas tradições até os dias atuais.

A postura de um samurai é a sua postura no dia a dia. Não é vaidade e sim um orgulho de ser humano. De não ser um animal e agir que nem um primata.